sábado, 17 de junho de 2017

MEU ULTIMO POEMA DE AMOR





Quando as lágrimas secarem
Dos olhos teus
E inundarem os meus
Nesta saudade que ficou
Nem uma estrela vai brilhar
Como naquela noite brilhou
Nem a lua
Vai passear pelas ruas
E avenidas
Seremos como lágrimas perdidas
Que no espaço evaporou
Quando teus encantos de mulher
Ficarem presos em um poema qualquer
Em nossos desejos
Só um beijo vai ficar
Será aquele que na luz do luar
Eu lhe dei
E que em meus lábios guardei
Para que pudesse te recordar
Quando o tempo nos der a profundidade
Do que fomos
Nada mais seremos
Pois ficamos presos em uma lembrança
Destas que só o tempo alcança
Fazendo em nossos peitos se espalhar
E meu ultimo poema de amor
Não caberá a flor
Ele perfumar
Pois vai ficar só a dor
Das lágrimas
Que em nossos olhos
Esta imensa saudade
Veio nos dar.